A MENINA... A ÁRVORE... E O LIVRO DE PÁGINAS AMARELAS

Obra encontrada em http://www.luciadelima.com/index2.php

Arte: Menina lendo de Lucia de Lima


CAPÍTULO VI
Ana Maria Louzada


A menina dormia com seus livros... Sonhava sonhos de criança!
Sonhos que se misturavam com a magia das suas histórias.

Acordava abraçada com os personagens por ela criados.
Afinal, o livro de madeira e o de páginas amareladas abrigava sua imaginação... Doces fantasias!

Cada dia que passava, mais amarela as páginas do segundo livro ficava. Só que agora, junto com a cor amarelada, se juntava o marrom avermelhado da terra que grudava em suas mãos, enquanto brincava de fazer bichinhos de barro embaixo da árvore. Bichinhos que passariam a morar em suas páginas amarelas.

O cheiro do livro amarelado se misturava com o cheiro da menina e do livro de madeira. Um cheiro amadeirado de criança. Os dois livros, capturavam o cheiro da menina, que continuava segurando-os entre o braço e o coração. E a menina apreciava o cheiro dos dois... Seus companheiros de inspiração. 

É importante dizer, que o livro de madeira, agora também servia de suporte para a criação dos personagens de terra avermelhada. E assim, cada vez mais recheado de histórias e de experiências vividas sob a copa da mais bela árvore do quintal da sua casa, o livro de páginas amarelas, com o suporte do livro de madeira, mais parecia um baú de memórias.

Com tantas invenções e transformações, ficava cada vez mais pesado... Mais colorido... E muito mais mágico... Mais animado. Sim! O livro de páginas amarelas ia se transformando num dossiê de magníficas ideias.

Cada dia, uma história. Cada história uma tempestade de imaginação... E a menina, embaixo daquela árvore inspiradora, se empolgava e transbordava-se de emoção.

Emoção que traduzia as fantasias de uma criança, que no quintal de uma casa lá na roça, transformava-se em sonhos. Sonhos de um dia poder ter muitos livros, de poder escrever muitas páginas, e ainda, de poder compartilhar com outras meninas e meninos suas experiências de infância.

Enquanto isso... A menina passava horas, sentada ao pé daquela árvore, a mais alta de todas. Ali ela podia viver a plenitude da sua infância. Podia ler as suas histórias... Bem, ela ainda não sabia ler de verdade, mas aquelas histórias inventadas, ela lia muito bem. 

Leia também os demais capítulos!
CAPÍTULO I

CAPÍTULO II

CAPÍTULO III

CAPÍTULO IV

CAPÍTULO V

CAPÍTULO VI

Deseja receber nossas publicações?
Entre em contato Clicando Aqui

AS FLORES ENCANTAM!

O CANTO DOS PÁSSAROS

Postagens mais visitadas